sábado, 30 de junho de 2012

À trintena sai mais barato


A agência Lusa noticiou hoje que o Sporting dispensou mais de 30 treinadores, sendo que esta informação logo foi difundida pelas mais variadas publicações. Além dos  treinadores, foram também dispensados os funcionários ligados à formação com contrato a termo ou de prestação de serviços. 
A medida em causa parece não beliscar princípios éticos, de acordo com o documento a que a Lusa alegadamente teve acesso.
Os funcionários do clube  receberam a 30 de maio uma carta registada a informar a não renovação dos respectivos contratos de trabalho e os que não responderam à primeira carta registada do departamento jurídico "verde e branco" a informar das intenções do Sporting, foram novamente notificados em 19 de Junho.
Pois bem, tudo o que se possa conjecturar a partir destes dados que foram publicados, será mera especulação.
A Academia é alvo das críticas mais variadas, de muitos quadrantes do sentir leonino. Desde a mais delirante euforia até ao sempre desconfiado adepto, todos os estados de espírito são legítimos para opinar sobre o assunto.
Aliás, cada vez mais demonstramos que estamos habilitados para falar sobre todo e qualquer assunto. Tornámo-nos, por exemplo, peritos em discutir sobre as Agências de "rating" ou dos juros da dívida soberana em qualquer ponto de venda de tremoços ou enquanto esperamos para comprar uma raspadinha.
Actualmente somos especialistas de praticamente todos os temas da actualidade.
Por isso, falar sobre a Academia é quase um tema obrigatório, quando se fala do Sporting. Se todos estamos legitimados para opinar sobre a dicotomia resultados vs qualidade, é com naturalidade que hoje todos dissertarão sobre os motivos desta medida. 
Claro está que também tenho uma opinião formada sobre o trabalho que vem sendo feito, dos frutos colhidos e das contrapartidas do investimento mas, o que hoje vem à baila é sobre funcionários dispensados. Atrevo-me a dizer que 99,9% das pessoas que hoje se indignam com o cenário com que acordaram desconhecem quem são, o trabalho que exercem e os resultados que advêm desse mesmo trabalho.
É natural que nos questionemos, e natural seria o Sporting pronunciar-se sobre o assunto, dado que é um tema muito querido aos adeptos mas, parece-me conveniente esperar por algum tipo de esclarecimento.
Quereremos saber se se trata de uma reestruturação, de uma "limpeza" ou de alguma outra incógnita nesta equação, mas parece-me precoce a ejaculação de alguns sofredores sportinguistas.
Eu sei que o tempo tem sido "madrasto" para quem espera e desespera por boas notícias mas certamente haverá uma justificação bem mais pacífica que o cataclismo que muitos vaticinam.
Resta esperar por notícias, sejam elas oficiais ou oficiosas.