quinta-feira, 21 de junho de 2012

Um grande zero


Ontem não tive oportunidade de ver a entrevista de PPC.
Felizmente!!
Não quero ser mais contaminado. Deste modo, não vou pensar o que os interessados querem que pensemos, sejam eles quem forem.
Continuo a não culpabilizar ou ilibar o ex-dirigente mas, não acredito que tenha ido dizer o que muitos quereriam ouvir.
Será expectável que os arguidos mais mediáticos debitem inocência por todos os poros, contra todas as evidências. Não o estou a julgar, simplesmente a constatar o que é uma realidade, se nos lembrarmos de casos conhecidos como o da Casa Pia, Face Oculta, Freeport ou Apito Dourado. 
O que considero lamentável neste caso, mesmo que se venha a comprovar a inocência de PPC, prende-se com o facto do Sporting fazer manchetes pelos piores motivos, quando por estas alturas devíamos estar a falar da equipa de futebol, da final de futsal no Purgatório da Luz ou de assuntos da actualidade que nos transmitissem alegria ou esperança.
Desde há uns meses, a sigla do Sporting confunde-se com a do ex.
Lemos tantas vezes PPC que quase que já se confunde com SCP.
Nem a campanha da nossa selecção servirá para atenuar esta vertigem noticiosa, até porque o interveniente optou por vir, como tantos outros, defender a sua honra na televisão.
Não sei quanto tempo se arrastará este caso na justiça. João Pinto já é bi-avô e ainda carrega o esqueleto pelos tribunais, pelo que poderemos estar ainda a debater este assunto quando já tivermos as peles flácidas.
Apesar disto, a imprensa tentará tirar nabos da púcara mesmo que o caso ameace prolongar-se "sine die"
PPC não me me suscita simpatia...nem antipatia (até agora), mas espero, para bem do Sporting, que se comprove que o clube não teve nenhum envolvimento, caso tenha ocorrido de facto algum ilícito.
PPC diz : "O meu envolvimento no caso Cardinal é nulo", bem como "Em quinze meses no Sporting auferi zero" .
Eu também dou um grande zero a este caso, bem como a todas as nulidades que têm "servido" o clube, nos últimos anos.