domingo, 17 de junho de 2012

Por mim, podes ficar


Ontem podia ler-se, numa publicação desportiva, uma alegada afirmação de Diogo Salmoão:
"Nunca tive como objectivo fazer parte das opções de Sá Pinto.
Havia hipótese de fazer parte das opções de Sá Pinto mas nunca tive isso como objectivo apesar do bom tempo que lá passei. Não guardo mágoa do Sporting e agora só quero ajudar o Deportivo e é isso que me interessa".
Sinceramente, eu ontem estava mais preocupado nas incidências do jogo de futsal do que nestas declarações mas, é óbvio que fazem reflectir.
Todos sabemos que o amor à camisola foi em tempos que já lá vão. 
Se aliarmos este estado de alma ao facto deste jogador ser adepto de um clube rival, facilmente entenderíamos esta (alegada) intenção de não regressar.
No entanto, se um jogador assim o entender ou as condições forem as propícias, pode tornar-se uma referência de um clube que nem sequer está nos seus genes. Basta ver o exemplo de Mantorras (ou Eusébio), com direito a cargos de embaixador ou de símbolos para a posteridade, para saber que o seu sportinguismo acabou para ficar na gaveta, por motivos óbvios.
Contudo, por todo o respeito que o Depor me mereça, seria impensável há uns anos algum jogador pensar em rejeitar o Sporting em detrimento do clube galego, a não ser por uma proposta financeiramente irrecusável. Claro está que nos finais dos anos 90/princípios da década seguinte, a equipa da Corunha, quando ficou conhecido por "SuperDepor", ganhou um campeonato espanhol bem como Supertaças e Copas del Rey, mas o "MiniDepor" actual vem da 2ª divisão e terá, pelas dificuldades económicas, um projecto para não regressar de imediato ao escalão secundário.
Aliás, o segundo empréstimo deste jogador, bem como o de André Santos, indiciam que dali só se pode esperar um punhado de amendoins ou que o Sporting acabe simplesmente por "livrar-se" dos jogadores, como é seu hábito. 
O Sporting está bem servido para as alas, desde que as lesões não atraiçoem as inúmeras opções disponíveis, pelo que fico sem saber o que estaria reservado a Salomão.
Em último caso, este sacudir da água do capote até pode ser uma forma de assobiar para o ar, se eventualmente soubesse que ele próprio é que não seria opção para Sá Pinto. Na competitiva segunda liga espanhola, o jogador fez 29 dos 42 jogos da equipa, sendo que destes só 16 foram a titular. Será que viria de suplente da 2ª divisão para titular do Sporting?
Seja como for, oficialmente não soubemos de nada e quer-me parecer que se o Sporting assim o desejasse, não teria outro remédio senão empacotar os polvorones e os caramelos e voltar à casa de partida.