quinta-feira, 28 de junho de 2012

Grandes males, pequenos remédios


Como para grandes males grandes remédios, entendo que com chazinhos não se curam os males do futebol português mas, ao menos, pode aliviar alguns dos sintomas.
O presidente do Nacional, Rui Alves, é certamente uma das figuras mais desprezadas pelos sportinguistas mas, pela primeira vez, propôs uma medida que faz olhar para a fotografia dele sem sentir náuseas.
Assim, de acordo com a proposta do Nacional, os clubes dos campeonatos profissionais de futebol decidiram terminar com a cedência ou empréstimos de jogadores a equipas do mesmo escalão. Esta foi aprovada com 19 votos a favor - entre os quais o do Sporting -, 9 contra e uma abstenção.A medida entrará em vigor já na temporada que se avizinha e, segundo Rui Alves, presidente do Nacional, "acabará com a habitual suspeição sobre atletas que estão emprestados a clubes do mesmo escalão e que jogam contras as respectivas equipas". "Com esta medida vamos beneficiar a verdade desportiva das competições nacionais em Portugal", acrescentou o líder do clube madeirense.
Com a chegada das equipas B, muitos dos excedentários dos clubes grandes têm aí o espaço adequado para prosseguir a sua evolução e/ou transição para o futebol sénior. 
Claro está que o nível competitivo da 1ª Liga é diferente e proporciona outro tipo de dificuldades o que, para os clubes que colocam os seus jogadores a rodar na Liga Zon pretendem que determinada exigência exponencie a sua evolução.
Contudo, o Sporting sempre saiu prejudicado destes empréstimos enquanto outros subverteram esta estratégia, obtendo benefícios directos e indirectos.
Bem haja esta medida, mesmo que os grandes males continuem por resolver.