quinta-feira, 5 de setembro de 2013

A culpa é do pivô

O jornal Record, saúde-se, abriu o seu Fórum para perguntas e respostas que visam marcar o arranque do campeonato nacional de futsal.
Diria, olhando na diagonal para as questões, que 95% das perguntas tiveram como protagonistas Sporting e Benfica, como seria expectável.
Não sei quem respondeu às perguntas dos leitores, mas duas houve que me chamaram a atenção.


5:30
Comment From ddlp 
Para si qual o melhor 5 do campeonato e 5 suplentes? de todas as equipas. Tipo equipa ideal..

5:31
Olá, ddlp. 
Não quero ser redutor na minha análise, mas vou só escolher jogadores do Sporting e Benfica, até porque foram as duas formações que vi jogar. 
Marcão, R. Fernandes, Alex, Serginho e Divanei seria o meu 5 ideal.

5:52
Comment From Olivaz 
Este ano o benfica sem césar paulo e diece terá uma equipa menos violenta?

5:52
Olá, Olivaz. 
O Benfica não é nem nunca foi uma equipa violenta, mas o seu futsal tinha muito contacto físico, próprio do jogo de pivô.

Ao ler a opinião do especialista do Record em futsal, deveria ficar com algumas dúvidas acerca da sua idoneidade.
Poderia julgar pouco inteligente considerar que a equipa que tudo venceu, com uma diferença abismal dos seus rivais, só deveria colocar dois dos seus atletas num hipotético 5 ideal, em comparação com os 3 jogadores do rival.
Mesmo tendo em conta que a sua eleição é relativa à época que agora se vai iniciar, é de realçar que a equipa benfiquista já foi novamente derrotada pelo Sporting, na final da Taça de Honra da AFL.
No entanto, há valores mais altos que se levantam e, além disso, as opiniões são como as vaginas.

Agora, considerar que a equipa do Benfica não é...nem nunca foi violenta, não pode ser tida como uma opinião.
As tristes imagens, semana após semana, da mais vergonhosa secção do rival, são públicas e não merecem contestação.
Os referidos César Paulo e Diece saíram do Benfica, mas lá ficou o mentor.
As imagens referem-se a um simples jogo do play-off, mas as atitudes prolongam-se desde há anos, com a total complacência de árbitros e federação.
Poder-se-ia apresentar um vídeo  de Diece, outro de Diego Sol, outro de Davi, outro de Ricardinho...mas o de Gonçalo Alves, relativo a um mero jogo, é suficiente para ilustrar a não-violência do plantel.
Veremos se, dadas as saídas verificadas, o rival altera a sua postura ou se, pelo contrário, o ADN entranhado ganha uma vez mais a sua batalha.



Já agora, um vídei do prémio Nobel da Paz, César Paulo, onde se pode observar a atitude do jogador do Sporting, após um golpe de judo.
É elucidativo relativamente às posturas de ambos os clubes, na modalidade.