quarta-feira, 11 de setembro de 2013

O último do moicano

Apesar de não ter uma grande vocação noctívaga, ontem permaneci até às quatro da manhã, de forma estóica, a ver um amigável entre Portugal e o Brasil.
Quem viu a cotovelada de Bruto Alves na queixada de Neymar achará que de amigável pouco teve mas, em circunstâncias idênticas, já vi enormes algazarras envolvendo a totalidade dos jogadores e, provavelmente, as famílias nas bancadas.
Pareceu-me haver ali dedo de Scolari, que terá dito..."não bati nos mininu".
Apesar da selecção ter um forte paladar a Sporting, a verdade é que do actual plantel só Rui Patrício deu o seu contributo.
Não esteve bem...nem mal.
Limitou-se a receber atrasos, a receber uns remates desconchavados, e a ver a bola entrar na baliza.
Não me recordo de nenhuma defesa, mas pode ter acontecido num pestanejar mais prolongado.
Já Adrien e André Martins fizeram uma bonita viagem até Boston. Não sei se alguma vez lá tinham estado, mas espero que tenham apreciado a paisagem.
Dos ex-sportinguistas, tal como da equipa no seu todo, acho que só se destacou Veloso, medianamente.
Já Nani acho que conseguiu irritar os portugueses, os brasileiros, os americanos e até quem passeava nas redondezas do estádio.
Os do Mónaco é que terão apreciado a dupla jornada (Belfast/Boston) pois Moutinho terá começado a ganhar algum ritmo de jogo, depois do seu longo período de lesão.
Se a relva não estiver muito alta, é sempre possível vê-lo tentar explanar o seu futebol.
Depois da vitória histórica perante a potência Irlanda do Norte, que perdeu ontem com a potência Luxemburgo, parece que voltámos ao registo normal.
O golo de Raúl Moicano só serviu para temperar a derrota, e dar uma pequena alegria aos milhares de devotos emigrantes que marcaram presença.
Agora, é contar os minutos para o regresso do campeonato, depois de um negro período em que contava os minutos para o final da época.

Mas como o Sporting não se resume (longe disso) ao futebol, hoje temos o início da participação do nosso andebol no campeonato nacional.
Como é sabido, o Sporting não vence a competição há treze longos anos.
Na última meia dúzia de anos, que me recorde, nem um mísero 2º lugar. 
É um jejum demasiado grande (não confundir com o Jorge Jejuns) para quem dominou a modalidade e o quadro de vencedores, até há pouco tempo.
Já fomos relegados do topo da hierarquia, mas a aura do nosso andebol e dos saudosos anos 70 e 80 lá continua.
Aliás, o final da época passada, em que se aprimorou um modelo de defesa agressiva e contra-ataque, fez-me lembrar esses gloriosos anos, com os resultados conhecidos.
Fomos a melhor equipa da fase final e vencemos a Taça de Portugal, perante o penta-campeão Porto.
Este ano já voltámos a repetir a dose, vencendo a Supertaça perante o mesmo rival.
No entanto, considero que continuaremos a ser um outsider na competição.
Enquanto o Sporting prescindiu dos estrangeiros, promoveu juniores e trocou de guarda redes, num claro desinvestimento, o Porto deverá terá feito o seu maior investimento de sempre, numa aposta clara (e conseguida) de apurar-se pela primeira vez para a Liga dos Campeões da modalidade.
Poderemos ser levados a pensar que a equipa adversária poderá ficar debilitada com a sobrecarga de jogos mas, a extensão e qualidade do plantel, em contraste com o baixo nível do nosso campeonato, não acredito que vá fazer grande mossa.
Além disso, as grandes decisões irão dar-se quando o Porto já estiver longe da Europa, como por certo irá acontecer.
Já o Sporting tem sido vítima, precisamente, de uma primeira fase do campeonato muito irregular, não vencendo jogos acessíveis que acabam por ter um peso decisivo na fase final.
Hoje, na recepção ao também histórico Belenenses, só a vitória interessa...mesmo que um longo percurso se apresente pela frente.
No amealhar está o ganho, e o Sporting tem que chegar à 2ª fase em condições de discutir o título, e não a fazer contas com uma calculadora científica.
O jogo terá início às 21 horas, com transmissão pela Borla TV.
Tentaremos, perto da hora do jogo, colocar uma ligação para assistir ao jogo em directo.