segunda-feira, 2 de setembro de 2013

A poeira começa a assentar

Quando se aproxima o fecho da janela de transferências, a casa do Sporting parece estar próxima da arrumção, após semanas consecutivas de grande poeirada no ar.
As rescisões com alguns atletas que não fariam parte do projecto do Sporting para os próximos anos (Schaars, Pranijc, Onyewu, Turan, André Santos, Nii Plange e Etock), os empréstimos de outros (Jeffren, Viola e, quem sabe, Rubio e/ou Labyad) e as vendas dos mercenários (Bruma e Ilori) que tentaram entupir o aspirador, começam a dar um ar luzidio ao nosso lar.
Posso estar a não ver todos mas, com tanto pó no ar, a visão ficou turva.
Para dar a tarefa por concluída falta chegar a acordo com Boulahrouz, Bojinov e, provavelmente, varrer Evaldo para debaixo do tapete.
Até às 00.00 horas ainda se pode fazer faxina, mas depois da meia-noite é tempo de tirar o avental e descansar por umas horas, depois de trabalho tão intenso.
Claro está que a casa é alugada, e cada um tenta mobilá-la e decorá-la a seu gosto mas, garantidamente, os anteriores arrendatários deixaram-na num estado lastimável, e a recuperação e limpeza foram um dos doze trabalhos de Hércules.
Quase tantos quantos os jogadores que tiveram que ser "despachados", ora por vontade, ora por imposição.
Entretanto, as notícias continuam a insistir que o Sporting irá arrecadar perto de 20 M€ com a vendas da mercadoria.
No caso de Bruma, com o acordo ainda por definir, o Sporting recebrá 12 M€, com uma primeira tranche de 8M€.
Ilori rendeu 7,5 M€, ficando o Sporting com 25% das mais valias numa futura venda.
O primeiro fez 13 jogos (1 golo) pela equipa principal, o que equivale a uma venda que equivale a quase 1 milhão por cada jogo efectuado pelo Sporting.
Já Ilori fez 11 jogos (1 golo) mas, apesar da venda ser por um valor inferior, esse facto acaba por ser compreensível, dado que um defesa tem sempre um P.V.P inferior.
Já falei destes valores ontem, mas é curioso verificar que os saudosistas de Godinho e C&ª já saltaram a terreiro, criticando ferozmente os negócios.
Contra gente ressabiada não vale a pena arranjar argumentos nem comparações. No entanto, para os desatentos, convém recordar uma vez mais que estes negócios foram condicionados pelas datas de término dos seus contratos, bem como pelas falhas (da anterior direcção) no momento das suas promoções à equipa principal. 
Custa perceber como há gente que deveria defender os interesses do Sporting mas não desiste de dar repetidas bicadas (!!!) perante toda e qualquer tentativa de emendar o rumo.

Mudando de assunto, ontem foi dia da Supertaça de futsal.
Como foi amplamente difundido, o Sporting voltou a erguer o troféu, conseguindo o feito de coleccionar todos os troféus da mesma época (Campeonato, Taçe e Supertaça).

Foi também agradável saber que, depois do arrufo com o provocador benfiquista Gonçalo Alves, o nosso adjunto Zézito está praticamente refeito do encosto que deu  com a testa na face do veterano jogador.
O desejo de rápidas melhoras.