segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Il Maestro

O Sporting ficou hoje a conhecer o seu primeiro rival na Taça de Portugal em futebol.
Digo o primeiro rival porque não quero acreditar que aconteça como o ano passado, em que a equipa leonina só disputou uma eliminatória, tendo sido afastado pelo Moreirense, logo na estreia.
O Sporting vai receber o Sport Clube de Alba, da 1.ª divisão da AF Aveiro (distritais), sendo uma boa oportunidade para Leonardo Jardim dar minutos a alguns dos atletas menos utilizados.
A equipa aveirense é uma verdadeira desconhecida, mas o seu historial indica que quase sempre disputou os campeonatos distritais, tendo jogado apenas durante 3 épocas na 3ª divisão.
Na presente época ainda não sofreu golos, nem marcou, o que indicia uma equipa com uma defesa bastante consistente mas algumas dificuldades no ataque.
Eu sei que só fizeram um jogo, que acabou empatado 0-0 mas, apeteceu-me munir-me de estatísticas para fazer de jornalista desportivo português.
Por falar em jornalismo de qualidade, ontem não tive oportunidade de escrever no blogue, por alguns afazeres, e porque o pouco tempo disponível foi dedicado a ver as vitórias de João Sousa e Rui Costa.
Relativamente ao segundo, que me deixou ainda mais entusiasmado que a vitória no court, logo ao início da manhã, adiei durante uma hora uma ida à Figueira da Foz, tratar de uns assuntos importantes, para seguir os quilómetros finais da prova, depois de ter visto as últimas 3 horas de corrida.
Estava com expectativas bastante altas, não pelas vitórias conseguidas no Tour deste ano, mas pelas excelentes provas que o português tinha realizado em Québec e Montréal, nas duas últimas semanas.
Valeu a pena a espera, pois o momento que pude ontem presenciar deve encher-nos de orgulho.
Depois da entrega das medalhas e de ouvido o hino português, versão 33 rotações, meti-me no carro e fui directo aos meus compromissos.
Liguei o rádio, como se de um jogo do Sporting se tratasse, sempre ávido por saber mais alguma coisa ou ouvir a repetição dos golos leoninos.
Começam as notícias e, como esperado, dão o devido destaque ao feito do cilcista nortenho.

"Rui Costa, da Movistar, vence o campeonato do Mundo, batendo Valverde ao sprint!!"

WTF!!

Uma vez mais o jornalismo português a marcar pontos.
Quando, pela primeira vez (e esperamos que não a última, mesmo conhecendo  a extrema dificuldade em vencer esta prova), um ciclista representando as cores nacionais faz um resultado deste calibre, a Antena 1 lembra-se de dizer que Rui Costa é ciclista da Movistar.
Não, Rui Costa, André Cardoso e Tiago Machado correram com as cores de Portugal, e o hino que se ouviu foi o português.
Além disso, o sprint foi com "Purito" Rodriguez, que arrecadou a medalha de prata.

Não me bastava ter ouvido esta notícia às 17 horas, como a voltei a ouvir às 18 e às 19, sempre com os erros a amontoar-se.
O que me tranquilizou foi terem acertado no nome do ciclista, este sim o verdadeiro "Maestro"!!