quinta-feira, 19 de julho de 2012

Começar do zero


Terminado que está o primeiro jogo de preparação mais a sério, o resultado negativo que marcou a partida irá servir para as primeiras quezílias sportinguistas da época.
Vão com certeza levantar-se as vozes que defendem Sá Pinto e sus muchachos quase até ao indefensável, e levantar-se-ão outras bem menos tolerantes, o que propiciará autênticas conversas de surdos.
Penso que o meio termo, como quase tudo na vida, seria a opção mais sensata, mas nem sempre estamos imbuídos desse espírito de missão.
Comecei a ver o jogo com alguma curiosidade, como sempre acontece no início de época, mesmo que no onze inicial não surgissem grandes novidades.
Rapidamente se foi esvaindo a curiosidade e, mesmo que partilhasse parte da condescendência do primeiro grupo de sportinguistas que referi, acabei por ir rebobinando o filme, porque há determinados pormenores que lembraram em demasia a época passada.
Começamos como acabámos, com uma derrota por 1-0 contra uma equipa de nível inferior, mas que apresentaram, como tantas vezes, uma vontade bem superior.
Mostrámos, como vem sendo hábito nos últimos anos, que marcar um golo será um feito de realce, pois a definição das jogadas, do último ou penúltimo passe , continuam com as dificuldades habituais.
Não sei se voltamos a começar do zero, como no ano transacto, mas acabar mais um jogo a zero, isso sim começa a ser deprimente.
Sim, sei que acabámos de começar, que estão com cargas físicas elevadas...sei da (alegada) falta de entrosamento,  como sei que equipas de qualidade passam pelos mesmos processos e não é normal ver jogos com um vazio absoluto de ideias, como as que demonstrámos hoje, como as que demonstrámos em inúmeros jogos a época passada, com Domingos e com Sá Pinto.
Recordo-me, como é óbvio, que também com ambos os treinadores passámos por momentos de elevada qualidade, mas é precisamente a falta de regularidade um dos problemas apontados à equipa que defendeu as nossas cores, no ano passado.
Também sei que para lá das evidentes limitações nos faltaram imensos jogadores que poderão dotar mais qualidade colectiva, mas quero acreditar que todos os jogadores que compõem o plantel têm qualidade e dedicação suficientes para defender os interesses do Sporting.
Apesar do decepcionante jogo, tal como disse, não quero ser demasiado contundente nem fazer juízos individuais precipitados, por isso vou evitar fazer apreciações individuais, mesmo que acredite que um par de jogadores dificilmente farão parte das escolhas habituais de Sá Pinto.
Domingo há outra dose, e todos...optimistas, pessimistas e os que se encontram no lusco-fusco, esperamos com certeza uma exibição (e resultado) que nos façam acreditar...outra vez...cada vez mais, que este ano é que é.