terça-feira, 10 de julho de 2012

Luís a guiar


Ontem foi noticiado que Luís Aguiar pode estar a caminho do Braga.
Não sei os fundamentos desta notícia, por isso, comentá-la pode tornar-se tão melindroso como fazê-lo com a larga quantidade de lixo que enche a maior parte das páginas dos jornais desportivos.
Geralmente abstenho-me de tecer comentários acerca de boatos, mesmo que por vezes ironize acerca deles.
Vou abrir uma excepção neste caso, até porque esta crónica aplica-se a qualquer outro jogador que possa "reforçar" adversários.
Assim, acreditando que, por uma vez, as publicações em causa acertam, considero que o Sporting pode pôr-se a jeito para mais um rol de críticas com prazo incerto.
Sendo verdade que mal chegámos a "desfrutar" do jogador uruguaio com a nossa camisola vestida e, provavelmente daqui por uns anos, só poderão ser encontrados vestígios arqueológicos desses 30 minutos que fez contra o Valência por paleontólogos, no infeliz jogo de apresentação da época passada, o certo é que é uma jogada de risco permitir que um activo leonino passe directamente para um rival.
Sim, rival, porque infelizmente a tendência dos últimos anos aponta para um enfraquecimento do Sporting e para um anormal engrandecimento dos arsenalistas.
A história é algo que não se pode apagar mas, infelizmente, é passado. O presente é bem diferente, e redesenha-se a cada época.
Actualmente, seja para o 4º ou para o 1º lugar, competimos desportivamente com o Braga pelos mesmos objectivos e, ceder um atleta dos nossos quadros não me parece que se enquadre na política adequada.
Com o final dos empréstimos (ainda sujeito a aprovação, após recurso de alguns clubes) nunca se poria a questão do jogador ser emprestado pelo Sporting, por isso este boato estaria certamente sustentado na hipótese do nosso clube rescindir com o atleta, antes dele rumar ao Minho.
Ainda assim, lembro-me duma célebre transferência que não se efectivou porque o presidente do Nacional da Madeira considerou que não iria reforçar o Sporting que, segundo ele, lutava pelos mesmos objectivos.
Só me recordo de Luís Aguiar enquanto jogador do Braga e, na época, muitos o gostariam de ver de leão ao peito. Possivelmente os mesmos que, passado pouco tempo, o querem ver pelas costas.
Eu, no meio deste vaivém, só não o quero é ver a rematar à nossa baliza, seja ele bom ou mau jogador.
Já nos bastou Wender enfiar-nos duas batatas na mesma semana em que o recambiámos para o Braga, por não ter demonstrado qualidade para envergar a nossa camisola.
Luís Figo veio há poucos dias dizer que quer ver o Benfica forte, porque assim o campeonato será mais emotivo e mais qualidade terá.
Pois eu, que só olho para o meu umbigo, quero é que os adversários estejam mais fracos, já que o Sporting não pode estar mais forte.
Tal como julgo que a maioria dos adeptos querem, quero é que saia o Hulk ou Moutinho, como quis que saísse o Falcão ou o Ricardo Carvalho.
Quero é que saia o Witsel ou o Gaitán...mas já fiquei triste quando saiu o Roberto.
Luís pode não servir os nossos interesses, mas que vá a guiar para o Uruguay...ou para o Paraguay, porque lá será mais difícil provar a justiça ou injustiça da decisão, bem como atentar contra os nossos interesses.