terça-feira, 24 de julho de 2012

Solta o contabilista que há em ti


Os adeptos do Sporting, provavelmente à imagem de quase todos os outros, são cada vez mais sensíveis à generalidade dos assuntos que gravitam à volta do clube.
A crise económica que assola a maioria dos portugueses de um modo muito profundo, talvez ajude a perceber a cada vez maior preocupação dos adeptos no que diz respeito aos vencimentos dos jogadores, equipa técnica ou dirigentes, às mais valias geradas pelas vendas de jogadores, as comissões pagas a intermediários, os custos com as infraestruturas, com as modalidades amadoras, as contas da água e da electricidade ou até com os encargos com os atletas que não entram nas contas dos treinadores.
Mesmo que pudesse haver um ou outro adepto que tivesse este desassossego nos tempos em que o Sporting possuía dezenas de jogadores emprestados, com grandes encargos inerentes a esta prática, ou em que tínhamos uma miríade de modalidades amadoras com grande impacto nas contas do clube, bem assim como noutras actividades de gestão do clube, o certo é que não havia esta psicose colectiva com a contabilidade.
Isto devemo-lo ao Lehman Brothers, a Sócrates, a Passos Coelho, à Troika, ao FMI, ao Banco Central Europeu, à Grécia, à crise da dívida soberana, à crise do Euro... ou à crise da meia idade. 
O certo é que passámos a olhar para o Sporting com um olho no leão, e outro no cifrão!!
Assim, para lá de pensarmos que Moutinho pode e deve ser vendido para (alegadamente) enfraquecer o adversário, queremos muito que assim seja para conseguirmos angariar os 25% das mais valias da fatia que nos toca, acima dos 11 milhões de euros.
Queremos também saber todos os detalhes técnicos e económicos do contrato com a Câmara de Odivelas, para cedência dos espaços desportivos.
Discutimos estas matérias com a mesma eloquência com que debatemos o Orçamento Geral do Estado ou os contratos celebrados com as Parcerias Público-Privadas. 
Até há pouco tempo ficávamos ofendidos, quase furibundos...quando um atleta acabado de chegar, ainda com um pé no avião e outro no cais, dizia que o Sporting era uma ponte para jogar num campeonato mais competitivo.
Agora, ainda a tinta do contrato de um novo jogador não secou e já os adeptos fazem contas para o lucro (ou prejuízo) que esse mesmo jogador vai gerar.
Os espaços públicos de discussão da causa leonina quase se tornaram  gabinetes de contabilidade, e para o fazer não basta o cartão de sócio ou a bandeira do clube, pois torna-se indispensável a calculadora, não importa a marca ou a cor.
É esta preocupação diária que norteia muitas das conversas e crónicas alusivas ao clube pelo que é natural que, nos dias que correm, mais do que a chegada do avançado nos preocupemos com os encargos relativos aos descartáveis do plantel.
Depois dos responsáveis terem conseguido "despachar" Ribas, Evaldo, André Martins e Polga restam as dores de cabeça  Luis Aguiar, Alberto Rodriguez, Bojinov e Pongolle, já para não falar do Rendimento Social de Inserção pago mensalmente a Domingos Paciência.
Todos os dias folheio os jornais com uma ânsia desmedida, à espera de notícias animadoras relativamente a estes erros de casting, mas para lá do interesse do San Lorenzo em Aguiar o máximo que tenho lido tem sido...Levski interessado em Bojinov, CSKA de Sofia interessado em Bojinov,  Bojinov interessa ao Catania, ingleses, alemães e ucranianos de olho em Bojinov mas, das palavras aos actos, népias.
Pongolle, esse, parece ter sido raptado por extra-terrestres há anos pois ninguém se lembra dele, nem para usar nos sempre atraentes classificados do Correio da Manhã.
Estes processos em standby deixam o adepto-contabilista num estado semi-neurótico e os responsáveis leoninos têm que ter em atenção que estes potenciais clientes da Gamebox podem boicotar a sua compra e, deste modo, começarmos todos de novo a fazer contas a mais este contratempo financeiro.
 Edit: Já depois desta crónica estar publicada, surge o comunicado na página do Sporting a informar que a entidade chegou a acordo com Alberto Rodriguez para a rescisão do contrato, tendo este assinado pelo Rio Ave. Menos um para fazer contas. Hoje já durmo melhor.