quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Floribela. O regresso


Mesmo que tenham passado meses sobre a sua saída, o fantasma de Yannick Djaló continua a pairar sobre Alvalade.
Depois da sua saída ter coincidido com a redenção da equipa de futebol para com os adeptos, as últimas semanas têm trazido constantes notícias sobre o ex-jogador leonino.
Após uma primeira ameaça de devolução do avançado, por parte do Nice, Yannick voltou a aparecer nos media portugueses, sempre com o Sporting como pano de fundo e hoje, para rematar (coisa que de vez em quando até lhe saía bem), vem dizer que não descarta jogar no Porto ou Benfica, apenas recusando liminarmente o regresso a Alvalade.
Tem razão quando diz que era um mau-amado, por parte dos adeptos, mas convenhamos que muitas vezes contribuiu para esse estatuto, depois de ter passado o prazo de futura promessa.
Apesar disso, não consigo admitir que a nossa casa sirva para maltratar os próprios atletas, e só por isso lhe dou crédito nestas declarações, porque em termos meramente desportivos as suas performances eram bipolares, sendo que a fase depressiva era sempre mais vincada, no decorrer da época.
Muitos irão aplaudir esta ameaça, mas eu nunca verei com bons olhos mudanças para os rivais, mesmo dos que prescindimos. Aliás, acredito que, a acontecer algum dia essa possibilidade, Yannick tentará fazer o jogo da sua vida, por forma a "calar" os que tantas vezes o apuparam.
Apesar de ser um jogador livre, e o Sporting até ao momento não ter visto fruto algum deste investimento, salta desde logo à evidência que, uma vez mais, poderemos ter (tentado) formar um jogador mas continuamos a falhar nos valores que infundimos.
O Sporting fez questão de salientar que lhe dava todo o apoio, mas não o pretendia de volta pois o negócio estava feito....e Yannick responde, dizendo que recusa o Sporting. São cada vez mais raros os que proclamam o seu amor ao Sporting, ao contrário de tantos que, em situação idêntica, recusariam, isso sim, jogar nos rivais.
Não me admira que tal venha a acontecer, e sabendo como o presidente do Porto gosta destes ataques ao orgulho dos rivais, e também à influência da ex-Floribela, um futuro de azul será de equacionar.
Por tudo isto, não desejo toda a sorte do mundo a Djaló, a não ser que vá para outras paragens e, ainda assim, dependente de declarações futuras, pois a novela ainda não acabou.