quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A tradição joga a nosso favor


Já faltam poucas horas para mais um compromisso do Sporting mas, apesar da garantia de apuramento em primeiro lugar, o prestígio do clube está sempre em jogo.
Domingos sabe-o, já o referiu publicamente e certamente terá isso em consideração, na hora de escolher o onze contra a Lazio.
Uma série de circunstâncias fez com que a equipa que o Sporting apresentou em Angola, também num jogo onde só o prestígio estaria em jogo, fosse um misto de juniores e alguns figurantes da equipa principal (talvez porque nesse encontro o cachê a receber não estivesse dependente do resultado), mas as incidências da digressão a África fizeram questionar-nos acerca da pertinência de certas opções. Hoje a equipa estará certamente uns furos acima dessa, e continuo a acreditar que Domingos não porá o prestígio do clube e a formação dos juniores em causa.
Certamente todos eles começarão o jogo no banco, pois continuo a apostar na equipa que arrisquei numa crónica passada, com Marcelo na baliza, Pereirinha e Evaldo nas laterais, Carriço (ou Ilori) com Oniewu no centro da defesa. André Santos, André Martins, Schaars, Carrillo, Bojinov e Rubio do meio campo para a frente. Da minha "aposta" inicial foi afinal Polga quem ficou a ver o jogo pela Tv, quando eu apostava em Onyewu, mas o brasileiro estará provavelmente a precisar mais de repouso.
Os juniores terão a sua oportunidade no decorrer do jogo, mas para se tornar numa jornada inesquecível para eles,  convém que seja pela positiva. Jogadores houve que ficaram marcados, definitivamente, por serem lançados às feras em alturas inapropriadas. Inclusivamente, algumas das nossas promessas adiadas podem ter enfermado por não terem tido tempo de crescer em clubes menores, antes de regressarem a Alvalade.
Os três últimos anos na fase de grupos da Liga Europa têm sido marcados por começos convincentes e finais algo deprimentes mas hoje, apesar do cenário não se afigurar prometedor, espero que o Sporting deixe uma imagem que nos deixe orgulhosos e confiantes.
Mesmo que a tradição não jogue a nosso favor nas deslocações a Itália, e a história por vezes ter sido madastra, convém recordar que já vencemos a Atalanta, em Bergamo, a contar para a extinta Taça das Taças, ao contrário do que os media hoje noticiam, referindo somente os 4 empates e 9 derrotas averbadas. 
Além disso, em sentido inverso estão as estatísticas com a Lazio, pois temos um saldo 100% vitorioso. Isto dos números tem muito que se lhe diga, e também convém saber jogar com eles...por isso nem vou referir que ...só fizemos um jogo com os laziali. O que interessa são mesmo as percentagens, e a tradição joga a nosso favor.
Apesar destes números, alguns mesmo meras anedotas, nenhum deles contará quando a bola começar a rolar.